Sábado, 17 de Dezembro de 2005

...

Luis um miudo da minha rua perguntou-me?
- Também há o natal dos animais?
- É possivel!
- E eles recebem presentes?
- Isso não sei.
- Se calhar os animais pobres não recebem
- É possivel
- Ontem estive a conversar com o galo
- É?!
- Passou o dia todo a queixar-se.
- E do que é que se queixou?
- Disse que era contra o natal, sabes! disse-me ele, não gosto do natal, noite de paz, noite de amor, mas é tudo conversa, quando eu menos esperar estou a enfeitar o prato na noite de consoada. Já reparas-te se houvesse o natal dos bichos?! Imagina nós a cozinharmos o homem?!
- Nem sei o que dizer-te!
- Outro dia o teu pai entrou aqui armado em rei Herodes e zas cortou umas cabeças. Se o teu pai percebesse o meu cacarejar eu dizia-lhe que o menino Jesus só bebia leite com mel, se eu bebesse leite com mel ficava com a voz mais afinada, ração que a tua mãe me dá deixa-me tonto.
- Gostava de te ajudar.
- preferia que uma raposa me deitasse as unhas, conheci uma que tinha unhas para tocar guitarra, certa madrugada embalou com a sua voz a galinhada cá do bairro, num abrir e fechar de olhos entraram-lhe no papo.
- Gostas da árvore de natal?
- Nunca vi nenhuma!
- Não?!
- Às vezes passa por aqui o gato esse bicho anda sempre a troçar do meu bico. " ontem provei uma canja de fazer eriçar os bigodes. - Isso é cruel. - Já imaginas-te como se sentiriam o burro ou a vaca se depois do que fizeram pelo menino Jesus acabassem no talho, deram-lhe calor.
- E tu?
- Eu canto, o meu canto é o melhor dos despertadores.
- Desculpa, acho que tens razão, vou pedir á minha mãe que não te cozinhe
- Que lhe vais dizer?
- Na verdade não sei, podia abrir-te a porta e tu seguias o teu caminho.
- Não ia ser fácil, o mundo está cheio de perigos e não é facil arranjar trabalho, conheço um primo que passou por uma churrascaria, precisasse empregado dizia o letreiro, era no tempo dos contratos a prazo, acabou na barriga do patronato.
- Já ouviste falar na Etiopia?!
- Não.
- Há por lá muita fome, não se vê um pé de feijão, nem uma pata de frango.
- Deve ser dramático... a culpa são as guerras, juro que nunca me hei-de alistar no exercito, talvez no exercito de salvação.
- Olha a minha mãe está a chamar-me, tenho de fazer os deveres da escola.
- vai lá, gostei de conversar contigo, falar ajuda a passar o tempo.

lobo
publicado por relogiodesacertado às 01:44
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. O gato que vê o frio dent...

. Os ratos na toca tem filo...

. Essa estrada

. ...

. ...

. ...

. ...

. A morte da mulher do Dono...

. ...

. Nas tuas mãos

.arquivos

. Agosto 2013

. Julho 2012

. Maio 2012

. Maio 2011

. Setembro 2010

. Janeiro 2009

. Junho 2008

. Maio 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

.favorito

. ...

blogs SAPO

.subscrever feeds