Domingo, 14 de Agosto de 2005

...

Quando íamos para o carro, puxei-a pelo braço. Tínhamos que conversar, depois da noite de ontem as coisas não podiam ficar assim.



- Tas parvo? Deixa-me! Vamos embora que eles estão à nossa espera!



- À nossa espera? Ou à espera que essa tua birra te passe? Que se passa contigo? A noite de ontem pôs-te assim! Não te obriguei a nada.



- Eu sei! Fiz porque quis mas foi só uma curte!



- Uma curte??? – passei-me! Não gosto de curtes, o que aconteceu ontem tinha sido por ainda gostar dela, foi um erro termos acabado!



- Sim, uma curte! Não posso estar mais contigo, já não significas nada! Lamento.



- Lamento, muito bem! As tuas palavras tocam-me imenso, nem queiras saber…se ontem envolvemo-nos, melhor se ontem me deixei envolver contigo foi porque ainda sinto alguma coisa por ti.



- Ruben o mesmo não se passa comigo, acabamos e foi mesmo o fim. Eu gosto de outra pessoa, vamos embora que os outros estão à nossa espera.




Nem acredito no que ouvi, ela não era assim mas pronto, paciência.







[ (Cátia) Que burra que sou! Porquê? Porquê é que eu lhe disse isto! Foi melhor assim, gosto de outra pessoa e não posso estar sempre dividida entre os dois. ]







A tarde passou-se! O David finalmente começou-se a fazer à Rute, já não era sem tempo e o Miguel continuava muito pensativo, tinha que falar com ele mas não sei como. Passamos no final da tarde pela praia, e eu bem via o olhar da Cátia para os carinhos que o David fazia à Rute, será que é dele que ela gosta? Não pode ser! Eles não se suportavam, andavam sempre a discutir por terem ideias completamente opostas. Ou será que o parvo aqui sou eu?







Não me precipitei, fomos para casa e enquanto preparava o jantar procurei-a pela casa toda, precisava de falar com ela. Havia coisas por esclarecer…



Encontrei-a no jardim.



- Posso?



- Claro que podes!



- Desculpa, sei que já tratamos deste assunto mas hoje pela tarde reparei no modo como olhavas para o David, esse teu olhar…



- Que queres dizer com isso agora controlas-me!?



- Não, simplesmente quero esquecer-te como hoje ficou bem assente, entre nós, e para isso quero que me respondas com toda a sinceridade, como sempre fizeste, é do David que gostas?



O nosso diálogo ficou congelado! A Cátia procurava no meu intimo a resposta para me dar, talvez uma resposta que ela nem sabia ainda, eu aguardava impacientemente, até que ela agarrou-me na mão…



(…)




:: Postado por Anjinho & Companhia em 01:15 PM
publicado por relogiodesacertado às 19:28
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 15 de Agosto de 2005 às 18:43
e?...fiquei colada...o david espera tb, n demorem com a continuação...bj ao anjito e companhia.Nina
</a>
(mailto:alzira.guedes@sapo.pt)


Comentar post